O Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) lançou uma cartilha destinada ao público infantil que ensina maneiras de combater o mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças.

O material, intitulado Os pequenos mosqueteiros contra dengue, zika e chikungunya, é colorido e dinâmico e tem linguagem específica para esse público. Clique aqui para fazer download.

A cartilha apresenta conhecimentos, desafios e curiosidades sobre o mosquito e conta a história de três personagens: Ana, Chico e João, que apresentam os hábitos e comportamentos do Aedes aegypti.

A iniciativa visa despertar o olhar infantil para o conhecimento sobre a biologia do mosquito e os principais criadouros utilizados por ele para realizar a oviposição, além de reforçar as ações de prevenção e cuidados no ambiente domiciliar.

A Secretaria de Saúde vai reproduzir o material para ser distribuído em escolas fluminenses, com apoio das secretarias municipais e estadual de Educação.

“Mesmo crianças que ainda não dominam o processo de leitura e de escrita se beneficiam do conteúdo, quando pais e professores leem para elas e executam juntos as atividades”, observa Nildimar.

O trabalho foi idealizado pela pesquisadora do Laboratório de Mosquitos Transmissores de Hematozoários do Instituto Oswaldo Cruz, Nildimar Honório.

“Sentíamos falta de um material voltado às crianças que trabalhasse alguns conceitos importantes nas escolas e casas, com os familiares”, afirma Nildimar.

Nildimar reuniu a equipe com a qual trabalha na Fiocruz e convidou dois coautores para fazer parte do projeto: a pesquisadora e professora Gerusa Gibson e o cartunista Manoel Mayrink.

A produção da cartilha durou seis meses e teve colaboração de pesquisadores e profissionais do Instituto Oswaldo Cruz, da Escola Nacional de Saúde Pública, do Instituto Nacional de Infectologia da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, da Universidade de São Paulo, da Fundação Carlos Chagas Filho e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

“Também tivemos o apoio de profissionais da Creche Bertha Lutz, da Fiocruz, onde ocorreu o lançamento”, destaca Nildimar.

O objetivo de Nildimar e equipe é dar continuidade à criação de materiais educativos para o público infantil. Ela cita, como exemplos de temas, a biologia de outras espécies envolvidas na transmissão dos vírus, o conhecimento sobre os vírus e as doenças por eles transmitidas