A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) forneceu 80 mil alevinos de curimatã para 50 famílias de produtores do Pacatuba, no Baixo São Francisco sergipano.

Os alevinos, cedidos por meio do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Betume, vão fortalecer a atividade desenvolvida nas lagoas do Pantanal de Pacatuba, nos povoados Tigre e Junça.

Desde 2011, a Codevasf presta assistência aos produtores do Pantanal de Pacatuba. Além de anualmente realizar o repovoamento das lagoas marginais, a Codevasf oferece capacitações em piscicultura, contribuindo inclusive para a implantação de berçários nas lagoas, melhorando o índice de sobrevivência dos peixes. A piscicultura é uma das principais fontes de renda dos produtores da região.

O engenheiro de pesca Iru Guimarães, analista em Desenvolvimento Regional do CIB, explica que o fornecimento de alevinos é importante para a sobrevivência das famílias. “A ação contribui para a segurança alimentar da comunidade. Durante a Quaresma, eles aproveitam para comercializar o excedente, o que garante também uma fonte de renda extra para as famílias”, afirmou.

Este ano, a Codevasf já realizou dois peixamentos em Sergipe, lançando 360 mil alevinos de espécies nativas do rio São Francisco nos municípios de Neópolis e Gararu. No dia 29 de janeiro, a Codevasf irá realizar novo peixamento em Propriá, inserindo desta vez 500 mil alevinos no leito do Velho Chico. As ações compõem o calendário de festividades de Bom Jesus dos Navegantes no Baixo São Francisco Sergipano.

Ao todo, a Codevasf possui sete Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura em estados situados na bacia do rio São Francisco.

“Além de promoverem a recomposição da ictiofauna dos rios com os peixamentos, os centros de recursos pesqueiros e aquicultura da Codevasf apoiam a inclusão produtiva por meio de capacitações, fomento e incentivo à criação de peixes em tanques-rede e viveiros escavados, o que possibilita o surgimento de pequenos aquicultores e também reduz o esforço de pesca sobre algumas espécies mais visadas, ajudando a garantir a manutenção dos estoques pesqueiros”, observa o diretor de Revitalização de Bacias Hidrográficas da Codevasf, Inaldo Guerra.

Fonte: Codevasf