Vendas foram feitas por meio do Programa de Vendas em Balcão e beneficiou mais de 30 mil pequenos criadores de várias regiões do País

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) comercializou cerca de 206 mil toneladas de milho dos estoques públicos para uso na alimentação de rebanho de bovinos, caprinos, ovinos, bubalinos e codornas. A venda foi feita por meio do Programa de Vendas em Balcão (Provb) e beneficiou 30.335 pequenos criadores de várias regiões do País.

Desse total, 176,24 mil t foram destinadas às regiões Norte e Nordeste e atenderam 25.838 criadores. A maior procura pelo milho dos estoques públicos ocorreu nos estados do Ceará e do Rio Grande do Norte, que juntos responderam por 52,36% do total comercializado no Norte e Nordeste.

Nessas regiões, no primeiro trimestre foram vendidas aproximadamente 25,4 mil t a preços compatíveis com os praticados nos mercados atacadistas locais. O restante foi negociado a partir de abril, ao preço de R$ 33 a saca de 60 kg.

Nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, durante todo o ano o produto foi ofertado por preços de atacado. Ao todo, foram comercializadas 29,5 mil t do grão ao longo do ano, a preços de atacado. Nessas regiões, o milho dos estoques públicos beneficiou 4.497 pequenos criadores.

Vendas em balcão

O Programa de Vendas em Balcão disponibiliza estoques públicos a pequenos criadores e agroindústrias de pequeno porte por meio da venda direta.

Para comprar o milho, é necessário registro prévio no Cadastro Técnico do Programa. Com o cadastro, o produtor deve comparecer a uma unidade da Companhia levando cópia do RG e do CPF, além de comprovantes de identificação, de endereço, de qualificação de suas atividades e de escala de produção/consumo.

No caso dos criadores de bovinos, também é necessária a apresentação de comprovante de vacinação do rebanho contra a febre aftosa. A Conab aceita documentos de outros órgãos de extensão rural ou das entidades de classe.

O pagamento do produto é feito à vista, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU). Após o pagamento, o produtor pode se destinar a uma unidade da Conab para retirar o produto.

Info: Conab