No ensino médio, percentual de alunos matriculados que abandonavam os estudos antes de se formarem caiu de 14,5%, em 2007, para 11,2% em 2015

Um levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) sobre evasão escolar no País revelou que houve uma queda desse indicador nos últimos dez anos em todas as fases da educação.

Segundo o documento, em 2007, 14,5% dos matriculados no ensino médio abandonavam os estudos antes de se formarem. Esse percentual caiu para 11,2% em 2015.

Nos anos finais do ensino fundamental, 7,5% dos alunos deixavam as escolas antes da formatura, índice que passou a 5,4% em 2015. Já nos anos iniciais, a evasão saiu de 3,5% para 2,1%.

O estudo aponta, ainda, que 12,7% e 12,1% dos alunos matriculados na 1ª e na 2ª séries do ensino médio, respectivamente, deixaram os colégios entre 2014 e 2015.

O 9º ano do ensino fundamental tem a terceira maior taxa de evasão, 7,7%, seguido pela 3ª série do ensino médio, com 6,7%. Considerando todas as séries do ensino médio, a evasão chega a 11% do total de alunos nessa etapa de ensino.

A evasão é maior nas escolas rurais, em todas as etapas de ensino. O Pará tem a mais alta taxa de evasão em todas as etapas de ensino, chegando a 16% no ensino médio.

Evasão e migração

A migração para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) é mais expressiva ao final do ensino fundamental, quando chega a 3,2% e 3,1%, no 7º e no 8º ano, respectivamente.

Quanto à rede de ensino, a migração é maior na rede municipal dos anos finais do ensino fundamental, quando alcança uma taxa de 3,8%. Já no ensino médio, a migração é mais expressiva na rede estadual de ensino, com 2,2%.

Rendimento

Os indicadores de rendimento se referem à situação do aluno ao final de um período letivo declarado no Censo Escolar, podendo o mesmo ser aprovado, reprovado ou ter abandonado a escola durante aquele ano letivo.

Já os indicadores de fluxo escolar avaliam a transição do aluno entre dois anos consecutivos,  considerando a promoção, a repetência, a migração para o EJA e a evasão escolar.

Fonte:  Inep